Sou poeta, obstetra das palavras
Saiu da alma, virou poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Áudios

Sociedade diluída
Data: 04/12/2017
Créditos:
Poetajonasluiz
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Sociedade diluída

Sociedade diluída

Uma sociedade diluída, derretida
Líquido é o seu espírito
Uma sociedade solúvel, volúvel
Volátil é o seu sentido

Como o líquido que escorre, mutações que ocorrem
Nada está nas mãos, tudo escorre pelos vãos
De dia se pensa uma coisa, a noite muda-se de opinião

Sociedade que pensa ter liberdade, mas vive na prisão
Ninguém sabe o que quer, livre com algemas nas mãos

Ninguém acata as convenções, todos com as suas munições
É muito chumbo trocado, tiro para todo lado e em todas direções
É o vil metal, derretendo e transformando-se em ilusões

As mentes estão todas diluidas e escorrendo pelo chão
Sociedade que escorre, gritando alto me socorre

Jonas Luiz
São Paulo, 28/11/17
Enviado por Poeta Jonas Luiz em 30/11/2017

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras