Sou poeta, obstetra das palavras
Saiu da alma, virou poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Embaralhado
Embaralhado

Tudo meio confuso
Com sentimentos difusos
Um pouco fora de uso
Caindo em desuso

Andando com vendas nos olhos
Paracendo cobra-cega
Nada de brincadeira
A coisa é séria

A procura de uma agulha
Procurando num palheiro
Reviro tudo
Entro em desespero

Mesmo que encontrar
Ainda tenho que colocar
A linha no buraco
Mas não enxergo, sou estrábico

O tempo embaralhou tudo
Destruiu meu castelo de cartas
Formou um monte absurdo
As jogadas ficaram escassas

Sou descarte?


Jonas Luiz
São Paulo, 17/01/18

Poeta Jonas Luiz
Enviado por Poeta Jonas Luiz em 17/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras