Sou poeta, obstetra das palavras
Saiu da alma, virou poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Necessidade
Necessidade

A minha necessidade, é a felicidade
O meu desejo,  é meu segredo
A minha vontade, é a minha verdade
O que é ilusão, não serve não
O que for imaginação, não tem chão
O que for inconsciente, não é latente
O que for irracional, é invisível ao normal
O que ficou na memória, é história
O que for paixão, arrebenta o coração
O que for do meu tempo, momentos
O que for filosofia, só a mente cria
O que for devoção, faço uma oração
O que for  culpa, peço desculpa
O que for religião, respeito é bom
O que for agonia, a fé alivia
O que for espaço e tempo, estou dentro
O que eu for, o que eu só, é concepção do amor

Sou feito de desejos, manias e segredos
Para tudo que eu não vejo, é assim que eu vejo
Não posso fingir, nem mentir o que ensejo

Jonas Luiz
São Paulo, 08/02/18
Poeta Jonas Luiz
Enviado por Poeta Jonas Luiz em 08/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras