Sou poeta, obstetra das palavras
Saiu da alma, virou poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Verdades e mentiras
Verdades e mentiras

Será verdade ou mentira tudo que existe?
Meus pensamentos vagueiam, escurecem numa forma de eclipse
Em cada esquina há um falso profeta anunciando a besta do apocalipse

Alguém já disse mil vezes uma mentira sorrateira
E de tanto tocar nos ouvidos tornou-se verdadeira

Alguém já me disse que a vida começa aos quarenta anos
Já tenho cinquenta, continuo acreditando
Daqui a pouco vão dizer que pra barriga da minha mãe estou voltando

Já me venderam a cura de todos os males
Acabei comprando, pois era de madrugada
Culpo a bebida, aquela dose gelada, aquele sussurro ao pé do ouvido
Que me fez perder os sentidos

Em algum canto do mundo desenham portais da felicidade
Vendem pra você a sua própria liberdade
Prometem livrar-te das correntes e amarras
Dizem até que a conta é cara

Dizem por aí que o homem pisou na lua
E que das milhares de estrelas do céu, uma é sua
Falam da tal velocidade da luz, absurda medição
Mas não entendem as batidas do meu apaixonado coração

Sou eu uma fraude ou uma realidade virtual?
Sou eu o que se reflete no espelho, com a boca marcada pelo
seu batom vermelho?
Sou eu um poeta com a mente aberta?
Sou eu essa louca confusão, perdido entre a loucura e a razão?

Jonas Luiz
São Paulo, 07/03/18



Poeta Jonas Luiz
Enviado por Poeta Jonas Luiz em 07/03/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras