Sou poeta, obstetra das palavras
Saiu da alma, virou poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

No espelho
No espelho

No espelho eu me vejo
Não falo com ele pois tenho medo
Medo que ele conte os meus segredos
Meus secretos desejos

Existe um mar, existe uma fronteira a nos separar
Existe esse mundo que eu vejo
Onde estou preso nos meus apegos
Existe uma prisão
Onde vivo meu regime de escravidão

Esse portal talvez esconda a felicidade
Mas o passaporte dessa liberdade
Não é adquirido só pela vontade
Sou escravo das minhas necessidades

Em cada espelho vejo minha imagem distorcida
Minhas mil faces escondidas
Cada uma em seus mundos particulares
Se um dia elas se encontrarem
Terão muito pra conversar

Não sei se quebro todos esses espelhos
Pra não enxergar os meus medos
Ou se começo a junta-los num único lugar
Uma maneira das minhas imagens eu controlar

Todos espelhos dessa cidade refletem meus fantasmas
Vou sair por aí jogando pedras

Jonas Luiz
São Paulo, 22/03/18

Poeta Jonas Luiz
Enviado por Poeta Jonas Luiz em 24/03/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras