Sou poeta, obstetra das palavras
Saiu da alma, virou poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Névoa
Névoa

Essa névoa que tudo encobre, ofusca minha consciência enquanto ela dorme
Só a lanterna da sabedoria para clarear meu sentidos
Mas ela precisa de combustível para continuar acesa
Senão ficará igual a um bolo sem cereja
Envolta em vultos, em enigmas absolutos
Códigos indecifráveis, longínquas viagens
Perdida no fog, a visão deturpa a razão, carga alta de ilusão
Exomundos de sonhos permitidos
O fio da meada do meu elo perdido
Névoa traiçoeira que umedece o espelho retrovisor
Mistura com o meu suor e condensam minhas lágrimas
E quando caem no chão, queimam tudo que nem brasas
Névoa que mistura e quase nada dissipa
Deixa no ar o cheiro do desejo e uma placa de indicação
Siga seu cortejo

Jonas Luiz
São Paulo, 12/04/18

Poeta Jonas Luiz
Enviado por Poeta Jonas Luiz em 13/04/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras